domingo, 14 de julho de 2019

Conversas Improváveis (42) - O Tapete e as Cortinas

Dia de reunião familiar. Ninguém visita ninguém espontaneamente porque quer, porque se lembra e porque gosta dos outros. Os únicos laços que existem são os da obrigatoriedade do sangue. É o que liga as pessoas. Há coisas positivas e outras menos boas nestas reuniões familiares. Desde logo a mais positiva é termos a possibilidade de socializar enquanto as pessoas estão vivas e não nos encontrarmos só nos funerais. Quanto às menos boas, bom, também temos que fazer algumas concessões. 

Mas há cedências e cedências. Dispensei a missa em honra dos nossos ascendentes desaparecidos. Enquanto isso fui dar uma volta junto ao rio, olhar os patos, ver  hibiscos em flor e ouvir falar francês e alemão. Quando ao longe vi as pessoas sair da igreja, fui-me aproximando. E já com os meus pais prestes a entrar para dentro do carro, uma prima aproxima-se e antes de me entrar porta adentro e me vir cumprimentar diz:

- Fôda-se, nem conheces ninguém, caralho!
- Olá!!! Bem, tu estás cada vez mais loira!
- E tu ainda não viste em baixo! 



À tarde, a mesma prima, que tem a mesma doença que eu, haveria de dizer uma outra frase, que apesar de ter o seu quê de Lapaliciano, não deixou de dizer uma grande verdade:

- Se os nossos avós não tivessem pinado, não estava aqui ninguém!

quarta-feira, 10 de julho de 2019

Conversas Improváveis 41 - Silicone

Depois de termos estado a dissecar o tema abraço, dizendo ela e relatando com um exemplo pessoal, que um abraço desarma muita gente, e de eu ter defendido que um abraço pode ser mais íntimo que sexo e de também ter mencionado que retenho vários abraços muito importantes ao longo da vida,  bem gravados na mente, despedimo-nos. 

Eu deixei um abraço apertado.
- Cuidado! disse ela.
- Ainda me salta uma mama!
- Tens de ter cuidado com o meu silicone!


segunda-feira, 8 de julho de 2019

Só compreendemos as coisas quando elas acabam?

- Havia noites em que eu não conseguia dormir e, então, dizia à Doris: "Por que é que ele não consegue vir-se embora? E sabes o que me respondia Doris? "Porque ele é como toda a gente: só compreendemos as coisas quando elas acabam. Porque é que tu não me deixas a mim? Todas as características humanas que tornam difícil para uma pessoa viver com outra... não as temos também? Discutimos. Entramos em desacordo. Temos o que toda a gente tem,um pouco disto um pouco daquilo, os pequenos insultos que se vão acumulando, as pequenas tentações que se vão acumulando. Pensas que não sei que há mulheres que se sentem atraídas por ti? Professoras lá do liceu, mulheres do sindicato, que se sentem fortemente atraídas pelo meu marido? Pensas que não sei que passaste um ano, depois de teres voltado da guerra, em que não sabia porque razão ainda continuavas comigo, em que te perguntavas todos os dias: "Porque é que não a deixo?" Mas não deixaste. Porque, no fim, as pessoas não o fazem. Todos andam insatisfeitos, mas no fim o que as pessoas fazem é não se irem embora. Especialmente as pessoas que já foram abandonadas, como tu e o teu irmão. Quem passa pelo que vocês os dois passaram dá grande valor à estabilidade. Provavelmente até demasiado. A coisa mais difícil do mundo é cortar as amarras da vida e partir.

"Casei com um comunista" / Philip Roth

domingo, 7 de julho de 2019

Ninguém Me Diz o que Há Depois de Nós




"Se me agiganto" / Linda Martini (com Ana Moura) / 2018

Há Escritores que Escrevem Sempre o Mesmo Livro?

Há dois ou três meses não fazia ideia de quem era Haruki Murakami. Muito menos que era o "escritor da moda" como ouvi depois alguém dizer-me. E por obra do acaso, acabei a ler de seguida dois livros deste autor japonês. E ler dois livros de seguida de um autor que desconhecemos permite-nos perceber algumas coisas. E eu percebi por que é que é tão lido, porque se lê muito facilmente e quer-se logo saber mais do que vai acontecer, porque cria ambientes e enredos entre as personagens muito cativantes, porque tem diálogos e pensamentos muito interessantes...



Só que, ao acabar o segundo livro fiquei com a sensação que estava como que a entrar no primeiro, e o que me pareceu é que, apesar das histórias serem completamente diferentes, o homem como que me voltou a contar a mesma coisa.

Se em "After Dark" era a irmã de Mari que passava a vida a dormir e entrava pelo espelho e de lá não conseguia sair. Em "Sputnik, meu amor" é a Sumire, aspirante a escritora, que desaparece, e os textos que deixa escritos no computador, e o sonho que relata com a mãe que já morreu há muitos anos. Ou quando Miu está na roda gigante a ver pelos binóculos o Fernando, que tem uma pila descomunal, e que está no seu quarto a agarrar o seu outro Eu...

E depois são estes romances, e se calhar hoje em dia é assim que se escreve (não sei, leio poucas coisas do século XXI), com finais completamente abertos, mas se calhar, digo eu, demasiado abertos que para a minha compreensão, pois aos meus olhos não chegam a lado algum, e em que, muitas vezes nada encaixa com nada, sem lógica nenhuma. Em Sputnik, meu amor, por exemplo, já o romance caminhava mesmo para o fim, o que é que interessou para a história o aparecimento da personagem Cenoura que é apanhado a roubar e se remete ao silêncio quando confrontado por K.?

Este tipo de escrita, apesar de muito interessante, tem mais ou menos o mesmo objetivo de duas equipas de futebol, que vão para um campo jogar à bola, mas sem qualquer intenção de fazer golos. Fazem jogadas espetaculares, mas quando se aproximam da grande área, voltam para trás, e recomeçam de novo. E quando faltarem cinco minutos para o jogo acabar, o árbitro interrompe o jogo, por uma razão qualquer, e os espetactores saem do estádio sem saber qual será o resultado final, simplesmente porque o jogo não se voltará a realizar!

As Marcas da Inquisição na Sociedade Portuguesa dos Dias de Hoje

Talvez isto responda à pergunta: por que é que em Portugal somos tão mansinhos e pouco contestatários com o poder, mesmo quando ele nos fode valentemente?

"A Inquisição criou um forte conformismo social. Nós sabemos, não é só Portugal, mas em geral, as sociedades que tiveram inquisições, são países onde o conformismo social é muito forte, e onde a crítica aberta ao poder, às autoridades nem sempre é fácil." 



"A inquisição foi sem dúvida um tribunal muito duro, arbitrário, bárbaro, mas também era um tribunal que era liderado por homens que estavam bastante convencidos de serem os detentores da fé e os detentores da verdade. E para entender o seu funcionamento, os seus debates internos que saem dos papeis da inquisição, é preciso partir daqui. Para entender por que é que este tribunal foi o tribunal que vincou o primeiro racismo em Portugal, criando uma sociedade segregadora anti judaica, com uma ideia de uma impuridade do sangue que se traduz numa impuridade da fé."

"Há uma figura que nós chamamos o fundador, que não foi o primeiro inquisidor geral (porque foi o segundo) mas foi o Cardeal Infante Dom Henrique, que era o irmão do rei. Portugal teve esta característica, muito singular, de ter como inquisidor geral, durante quarenta anos, o irmão do rei, o que não se passava nas outras inquisições, e que permitiu com o seu poder, que derivava também com a sua posição na corte e na monarquia de proteger e dotar de poder esta instituição. Permitir que ela se moldasse tão poderosa como a consideramos.

Giuseppe Marcocci, autor do livro "História da Inquisição Portuguesa 1536-1821" no programa "Quinta Essência" da Antena 2. O Programa pode ser ouvido aqui

sábado, 29 de junho de 2019

Conversas Improváveis (40) - Honestidade Extrema

Imagem Emprestada da Net

"Ainda antes de lhe dizer que sim ou não, disse-lhe quais seriam as minhas condições:
Não quero ter filhos. Não me quero anular por causa duma relação nem por causa dele. Não quero deixar de fazer o que faço nem deixar de ter amigos. Se quero ir ter com a minha amiga de Coimbra e estar com ela uns dias, ou se quero estar contigo (que ainda fica mais longe) vou e não tenho que andar com ele sempre atrás.


segunda-feira, 24 de junho de 2019

A Tampa Que as Mulheres Deixam Sempre Levantada! (2)


Tínhamos ido até à Praia da Vieira.
"Esta tampa sai?"
- Sim.
Não pude deixar de sorrir quando, no dia seguinte, olhei e lá estava a tampa. Levantada!

Ou como disse da primeira vez: "As generalizações são uma coisa tramada"!

# A Tampa Que as Mulheres Deixam Sempre Levantada! (1)

sábado, 22 de junho de 2019

Jogo: Vamos Ver Quem Vê Mais Qashcais?




No Verão passado eu queria sempre jogar ao jogo de "Quem vê mais tshirts Levi's". Este Verão  podemos jogar antes ao "Quem vê mais Nissan Quashqai", porque estou em crer que será, provavelmente, o carro mais visto nas ruas portuguesas ultimamente. 





quarta-feira, 19 de junho de 2019

A Morte de Platini

A memória é uma coisa tramada não é?

"Como presidente da UEFA não estou nada contente com a sua (FC Porto) inclusão na Liga dos Campeões. Digo-o claramente. Durante o meu mandato, a UEFA vai lutar até à morte contra a corrupção".  (Junho/2008)







Paz à sua alma. 

Dizer 500 Vezes João Félis

João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis  João Félis João Félis João Félis João Félis João Félis  João Félis João Félis João Félis



Que o povo todo dê um pontapé na gramática ao dizer João "Féliks" tudo bem, não vem grande mal a mundo, afinal, a quarta classe já foi há algum tempo e todos nós cometemos erros. Mas quando a maioria dos jornalistas, comentadores, e gente com alguma responsabilidade passa a vida a dizer à boca cheia "Féliks", é que já me parece grave, afinal, se um jornalista nem português sabe, o que é que andou a fazer na universidade?

E o que dizer daqueles a quem informamos que estão a dar uma calinada mas preferem continuar a dizer mal?

# Ó Judite, Escreve 500 Vezes Florida para ver se Aprendes!

# Pessoas Que Não Gostam de Ser Corrigidas

Os Dez Novos Mandamentos da Igreja de Roma



1 - Amar o Dinheiro Sobre Todas as Outras Coisas

2 - Não Invoques o Santo Nome de Ford em Vão

3 - Guarda os Domingos para Ires ao Centro Comercial

4 - Honra o Patrão e os Impostos

5 - Dispara Primeiro Pergunta Depois

6 - Fornica o Mais que Puderes

7 - Rouba os Mais Fracos que Tu

8 - Nunca Digas a Verdade

9 - Não Cobices a Honestidade

10 - Se os Teus Vizinhos Têm, Tu Deves Ter Ainda Melhor






sexta-feira, 14 de junho de 2019

Salário Acessível

Na entrevista de emprego:

- Então diga-me lá, e quanto é que está a pensar ganhar?

Bom, olhe, para dizer a verdade eu nem sou muito exigente, porque para mim o dinheiro não é tudo na vida. Estava até a pensar meramente num salário acessível, que ao menos desse para pagar uma renda acessível. Um salário acessível de vinte e cinco, trinta mil euros anuais já me parece razoável. 





terça-feira, 11 de junho de 2019

O que Deus Uniu Descola Mais Rápido?



Números oficiais PORDATA, hoje, na primeira página do Jornal I:

"Quem casa pela Igreja divorcia-se mais do que quem casa pelo civil".

E temos que ter em conta que, pessoas do mesmo sexo não podem casar (nem divorciar-se) pela Igreja, pelo que vão para o bolo dos casamentos e consequentemente divórcios civis. 

O que eu me pergunto, e seria certamente uma reportagem interessante, era perguntar aos responsáveis da Igreja Católica - o que acham destes resultados?, afinal, segundo julgo saber, pelo menos por aqui na aldeia que há uns anos, quem queria casar pela Igreja Católica, até tinha que fazer um curso de preparação e tudo!, ainda que, esse curso fosse ministrado - ironicamente! - por alguém que nunca soube o que são os desafios de estar casado!

O que é que isto poderá querer dizer? 

Na minha opinião que quem casa pela Igreja, se calhar fá-lo de forma menos esclarecida, se calhar querendo corresponder e ir de encontro a determinadas expectativas, dogmas e pressões familiares, não fosse até corrente que o casamento é a cerimónia dos pais (que muitas vezes a pagam) e não dos dois principais interessados. Mas para mim quer também dizer outra coisa: a completa falência da instituição casamento, até porque, e já aqui falei do assunto: mais de 50% das crianças que nascem em Portugal, nascem fora do casamento.

segunda-feira, 10 de junho de 2019

Estar Atento

"Uma vez, durante as férias grandes do meu primeiro ano da universidade, fui até ao Norte do Japão, e no comboio conheci uma mulher oito anos mais velha do que eu, também ela a viajar sozinha, com quem passei uma noite. Na altura, lembro-me de ter pensado que tudo aquilo parecia tirado das primeiras páginas do Sanshiro.

Ela trabalhava na secção de operações cambiais num banco de Tóquio. Sempre que tinha uns dias de férias, agarrava num punhado de livros e metia-se à estrada por sua conta e risco. - Viajar sozinha é muito menos cansativo - confidenciou-me. 

Tinha o seu encanto e ainda hoje estou para perceber como se foi logo interessar por um estudante universitário de dezoito anos, magro e taciturno como eu. E, contudo, parecia sentir-se nas suas sete quintas, ali sentada à minha frente naquela carruagem de comboio, a falar de tudo e mais alguma coisa. Fartava-se de rir à gargalhada. Por uma vez, até eu dei por mim a falar pelos cotovelos. Por mero acaso, saímos ambos na estação de Kanazawa.

- Tens onde ficar? - perguntou-me ela. 
- Não - respondi eu, que nunca na vida fizera uma reserva de hotel. 
- Tenho um quarto disse-me. - Se quiseres, podes ficar comigo. Não te preocupes - acrescentou -, o preço é exatamente o mesmo quer esteja ocupado por uma ou duas pessoas. 

Estava nervoso na primeira vez que fizemos amor, o que fez com que o meu desempenho deixasse algo a desejar. Apresentei-lhe as minhas desculpas. 
- Mas que bem educado me saíste! - exclamou ela. - Não precisas de pedir desculpa por tudo e por nada. 

(...)

Pronto, imagina o seguinte. Supõe que vais fazer uma longa viagem de carro com outra pessoa qualquer, e que vão conduzir por turnos. Nesse caso que tipo de pessoas escolhias? Uma que guiasse bem, mas que fosse imprudente, ou uma que não guiasse tão bem, mas que fosse prudente?
- A segunda, provavelmente - respondi eu.
- Também eu - retorquiu ela. - Temos aqui uma situação muito parecida. Ser bom ou mau, ser despachado ou desajeitado, isso são coisas de somenos. Na minha opinião, o que é importante é estar atento. Ficar calmo, estar atento ao que se passa à nossa volta. 
- Atento? repeti eu.

Ela não respondeu e limitou-se a sorrir. Mais tarde quando fizemos amor pela segunda vez, tudo correu na perfeição. Tive a sensação de começar a perceber o significado de "estar atento". Foi também a primeira vez que vi como reage uma mulher quando se abandona a um prazer intenso. 

No dia seguinte, depois de tomarmos o pequeno-almoço juntos, foi cada um para seu lado. Ela seguiu o seu caminho, e eu o meu. À despedida, contou-me que se ia casar daí a dois meses com um colega de trabalho. 
É ótima pessoa - acrescentou - toda sorridente. - Já andamos juntos há cinco anos, e agora vamos finalmente oficializar a situação, o que significa que, uma vez casada, vou deixar de poder andar a viajar por aí sozinha. Talvez seja esta a última vez. 

Eu era ainda muito jovem e pensava que histórias como excitantes destas aconteciam com frequência. Mais tarde, acabei por compreender, e de que maneira, que as coisas não eram bem assim. 

Comunistas e Esquerda Controlam os Média em Portugal


Ámen.

sábado, 8 de junho de 2019

Por que é que o PCP Tem Perdido Tantos Votos?

Muito se tem falado sobre este tema, com alguns comentadores a apontarem o apoio à coligação de Esquerda que suporta o governo do PS, como principal motivo para que o PCP esteja a perder votos. A minha visão é um pouco diferente, aliás, esse argumento cai logo por terra, quando o próprio Bloco de Esquerda, que também pela primeira vez deu suporte a um governo do Partido Socialista, e contudo não para de subir e nas últimas eleições foi já o terceiro partido mais votado. 

A base de apoio do Partido Comunista Português é, como se sabe, baseada nas pessoas mais velhas. As pessoas mais velhas simpatizam com o PCP, por outro lado é a última opção de escolha para os mais jovens. Acho que não é preciso muito para perceber que este é desde logo o primeiro motivo. Os mais velhos vão morrendo e lá se vão eleitores que se vão perdendo, porque não vão sendo repostos por novos eleitores jovens. 

Depois a idade do líder do partido, Jerónimo de Sousa. Já se percebeu, por mais que uma vez, que os portugueses não gostam de candidatos com os pés para a cova. Veja-se o resultado que Mário Soares teve nas presidenciais de 2006, ficando em terceiro lugar, ou, o lindo resultado que Valentim Loureiro teve quando tentou voltou a governar a câmara de Gondomar, depois de ter saído por limitação de mandatos, e num município em que sempre ganhou eleições por maioria. (Sim, Marcelo ganhará as próximas presidenciais à primeira volta, mas em Portugal, também já sabemos que um presidente fica sempre dez anos no poder)

Jerónimo de Sousa tem 72 anos, está na liderança do partido há quinze anos, há muito que o partido se deveria ter refrescado, veja-se, por exemplo, o que era o Bloco de Esquerda com o carismático Francisco Louça, e agora, liderado há já uns anos por Catarina Martins.

Mas mais importante são as questões ideológicas. E não raras vezes o PCP tem tomado uma posição muito estranha. Eu, pela minha parte não consigo entender: Ainda ontem:


Isto quer dizer o quê? Que o PCP é a favor do massacre que aconteceu há trinta anos na China, em que foram assassinadas centenas ou milhares de estudantes? Ou então qual é a explicação? Eu não consigo perceber.

Pior ainda, é quando o PCP se junta à direita em diversos casos. Assim de cabeça relembro os seguintes casos:

- Contra Voto de Condenação a Angola por detenção de 17 ativistas angolanos.

- Contra a proibição do uso de herbicidas que já se provou provocarem cancros

- A favor dos menores nas touradas

- A favor da redução do IVA nas touradas para 6%

- Contra a Eutanásia





Por mais simpatia que um partido de gente que combateu como ninguém o salazarismo e a ditadura, e que tem um discurso de defesa dos trabalhadores e de combate ao capitalismo selvagem, eu não consigo entender estas tomadas de posição estranhíssimas. Não dá para entender. E talvez estejam aqui, nestas tomadas de posição, as verdadeiras razões para a sustentada queda de votação no Partido Comunista Português. 

O Livro Que o Adepto do Flamengo Tem que Ler



A partir do momento que Jorge Jesus rumou para terras de Vera Cruz para treinar o Flamengo, o futebol brasileiro já ficou bem mais divertido! Mas a recomendação para o adepto do Flamengo, é que pegue neste pequeno livro, para ficar a saber mais um pouco da personalidade deste treinador português e saber com o que pode contar durante os próximos meses!

Algumas tiradas célebres contidas no livro:

"O que era o Benfica antes de mim?"

"Um treinador é como um pintor... já contei esta história da Paula Rego: estive uma vez numa exposição e ela dizia-me, a mim e às outras pessoas, que era uma figura que se chamava Maria e que estava a chorar: "Ah está a chorar?" Não via nada... mas ela sabia que estava a chorar. É como o treinador."

"Com essa equipa dava-lhe três de avanço. Mudava aos cinco e acabava aos dez!"

"Prometer o título? Sou Jesus, mas bruxo não sou. Não posso prometer nada".

"Não sou Eça de Queiroz. O que estudei e sei é ser treinador de futebol. Têm de julgar-me como treinador, se sou bom ou mau treinador.."

"No Sporting quem manda sou eu. O que o Slimani diz vale zero. Vai obedecer às minhas decisões, com azia ou sem azia. No dia em que tiver azia compro-lhe Kompensan."

"Acho que sou o melhor treinador do mundo"

"O conflito dá-me um enorme gozo, adoro o conflito".

"Quando vires uma equipa que não defende bem, aí podes culpar o treinador". 

"O fair-play é uma treta".


sexta-feira, 7 de junho de 2019

Para os Jovens Chineses Tiananmen Nunca Existiu

"Winston carregou na tecla "números antigos" do telecrã e pediu os Times indicados, que saíra do tubo pneumático após a espera de apenas alguns minutos. As mensagens que recebera referiam-se a artigos ou notícias que por um ou outro motivo se considerava necessário alterar ou, na expressão oficialmente utilizada, retificar.
(...)

Assim que fossem reunidas e conferidas todas as correções necessárias, a introduzir num determinado número do Times, este seria reimpresso, o exemplar original destruído, e o exemplar corrigido arquivado no seu lugar. Este processo de alteração contínua não se aplicava só aos jornais, mas também a livros, revistas panfletos, cartazes, folhetos, filmes, fitas gravadas, bandas desenhadas, fotografias - todo  tipo de literatura ou documentação que pudesse concebivelmente ter qualquer espécie de relevância política ou ideológica. Dia a dia, e quase minuto a minuto, o passado ia sendo atualizado. Deste modo tornava-se possível demonstrar, com provas documentais, que todas as previsões do Partido haviam sido corretas; e nunca se permitia a permanência da mínima notícia ou artigo de opinião nos arquivos, que entrasse em conflito com as necessidades do momento.

Toda a História era um palimpsesto, raspado e reescrito tantas vezes quantas as necessárias. Em nenhum caso seria possível, uma vez terminado o tratamento do texto, provar que ocorrera qualquer falsificação. A secção mais importante do Departamento de Arquivos, muito maior do que aquela em que Winston trabalhava, compunha-se de pessoas tendo por única missão procurar e recolher todos os exemplares de livros, jornais e outros documentos desatualizados, que deviam necessariamente ser destruídos.
(...)
E o próprio Departamento de Arquivos era afinal apenas um dos ramos do Ministério da Verdade, cuja função primordial não consistia em reconstruir o passado, mas em fornecer aos cidadãos da Oceânia jornais, filmes, livros de estudo, programas de telecrã, peças de teatro, romances  - todos os tipos de informação, instrução ou divertimento, da estatuária à palavra-de-ordem, do poeta lírico ao tratado de biologia, da cartilha infantil ao Dicionário de Novilíngua. E o Ministério não só tinha que satisfazer as múltiplas necessidades do Partido, como devia repetir toda a operação a níveis inferiores para uso do proletariado. Existia toda uma série de departamentos independentes dedicados à literatura, à música, ao teatro e, de um modo geral, às diversões proletárias. Aí se produziam pasquins onde quase só se falava de desporto, crimes e astrologia; romances de cordel a cinco cêntimos cada; filmes a transbordar de sexo; e canções sentimentais inteiramente compostas por processos mecânicos numa espécie de caleidoscópio conhecido pelo nome de versificador. Havia mesmo uma subsecção inteira - encarregada de produzir pornografia da mais reles, que era mandada para o exterior em embalagens seladas e que nenhum membro do Partido, além dos que lá trabalhavam, estava autorizado a ver...


quarta-feira, 5 de junho de 2019

O Café Provoca Cancro....Mas Quem Bebe Muito Café Tem Mais Anos de Vida!

Não é de agora que se diz que o café está associado ao cancro...




Não! Afinal se o café for frio não faz mal nenhum!




Esqueçam! O café previne todo o tipo de cancro! Toca a beber montanhas de cafés, quentes e frios:







Esqueçam os cancros! Esta semana ficamos a saber que beber café enxota a morte e dá muitos anos de vida!!




Fazendo então o resumo:

- É ponto assente que o café provoca cancro. Mas tomar muitos cafés previne também vários tipos de cancro e até prolonga a vida. Mas para prolongar a vida pode-se morrer de cancro. Mas o café previne o cancro. Mas quem tiver cancros e beber muito café terá uma vida muit mais longa...


segunda-feira, 3 de junho de 2019

Pobres São Aqueles Que Precisam de Muito


"Quando tu compras algo, não te enganes, estás a comprar com tempo da tua vida que gastaste para ganhar esse dinheiro. No fundo o que estás a gastar é tempo de vida! Quanto te proponho a sobriedade como maneira de viver, mostrei-te a sobriedade para que tenhas mais tempo. A maior quantidade de tempo possível. Para viver a vida de acordo com as coisas que te motivam. Que não necessariamente são do trabalho (...) "


"Aquele que melhor goza da riqueza é o que menos necessita da riqueza" (Cartas a Lucílio - Séneca)


PAN: É de Esquerda ou de Direita?

Depois dos excelentes resultados do PAN, muitas pessoas já se perguntam se afinal o partido dos animais é de Esquerda ou Direita e se vai mesmo coligar-se com o Partido Socialista. Bom, depois de uma investigação séria, de muitas horas, uma coisa verdadeiramente científica, estou em condições de assegurar que o PAN é, efetivamente, de Esquerda.

Não, não me dei a trabalho de ler todo o seu programa como o Daniel Oliveira fez! Muito mais simples. Como? Observei como se vestem! Querem algo mais científico que a forma dos políticos se vestirem para saber se determinado político é Esquerda ou de Direita? Não há!

Comecemos com André Silva, o deputado do PAN no parlamento:


O que tiramos daqui? Não usa gravata. Se André Silva fosse de Direita, obrigatoriamente usaria sempre gravata! (claro que nas feiras o pessoal de Direita retira a gravata e até coloca uma boina, ou veste umas calças de ganga quando vai aos bairros sociais!)

As pessoas de Direita são conservadoras, agarradas às tradições, ao que sempre foi e defendem os interesses instituídos; as pessoas de Esquerda são progressistas, e (supostamente) reivindicam melhores condições de vida para os que menos têm.

Atente-se agora na bancada parlamentar do CDS, o partido mais à direita (tem dias) no parlamento. 
Vêem algum deputado sem gravata? Nem um só! Senão seria logo excomungado! Todos bem engomadinhos!



Agora compare-se com a bancadas do PCP e do BE:

Veja-se o líder do PCP, Jerónimo de Sousa, sem gravata e, atrás, dois deputados, um do PCP, outro do BE, ambos sem gravata também.


Outra foto com mais deputados do BE. 

Que podemos ver? Um deputado (Luís Monteiro) de cabelos compridos - onde é que um partido de Direita admitiria algum dia ter um deputado de cabelos compridos? Nunca na vida! Mas ele pensa que é  Eddie Vedder ou quê? E depois temos um tipo (José Soeiro) de casaco, estilo militar, que certamente se fosse a uma entrevista de emprego era logo excluído pela forma descontraída com que se apresenta! 



Vejamos por fim ainda mais uma fotografia que irá esclarecer definitivamente. O que é que diferencia também uma pessoa de Esquerda de outra de Direita? Se usa cravo ou não no 25 de Abril!! E o líder do PAN usa ou não? Usa!




Está agora, definitivamente demonstrado, e de forma científica, por que é que o PAN é de Esquerda. Quanto à Esquerda esperemos para ver. Lá para o fim do ano teremos novidades. 

domingo, 2 de junho de 2019

Por Que é Que os Trabalhadores do Fisco Andam Tão Criativos na Forma de Cobrar Impostos?


Tenho ouvido diferentes teorias, mas acho que ainda ninguém apontou o óbvio! Os trabalhadores do fisco andam cada vez mais agressivos e até criativos na forma de cobrar impostos, porque ganham com isso!, se não, certamente que se estavam a borrifar para o trabalho e para cobrar cada vez mais impostos em falta!



Então, passam por cima de tudo o que são os direitos das pessoas para irem buscar os impostos em falta, porque no ano seguinte recebem mais dinheiro! 

Ainda assim, (como ontem defendia um amigo meu) apesar desta forma de atuação terrorista, temos que ter em conta que, quem anda por aí à boa vida sem pagar os seus impostos, muitas vezes à espera de um perdão fiscal, só faz com quem o cidadão cumpridor, que paga os seus impostos religiosamente, tenho um sentimento de injustiça e, por outro lado, quantas mais pessoas fugirem aos impostos, mais o cidadão cumpridor terá de pagar à máquina fiscal. 

Ainda assim, e não tendo qualquer simpatia com os devedores do fisco (grandes ou pequenos) eu não posso concordar com esta forma de atuação totalmente discricionária, que manda parar automobilistas para cobrar coersivamente dívidas em falta, e se não pagar fica sem automóvel. 

E até vou mais longe, se é este tipo de coisa que queremos com a descentralização, que cada município possa ser criativo à sua maneira, então eu já começo a ser totalmente contra a regionalização. É que neste caso, só quem vivia no grande Porto é que ficou sujeito a este tipo de terrorismo fiscal, e como vivemos todos no mesmo país, as coisas têm que ser iguais para todos.

sexta-feira, 31 de maio de 2019

Vinte por Cento dos Fumadores Não Sabe Ler

Hoje, no Dia Mundial Contra o Tabaco, ficamos a saber pelo Destak que vinte por cento das pessoas que fumam no Mundo ainda não sabem que o tabaco pode provocar cancro no pulmão e os fumadores ignoram os riscos para a saúde. Ora, tendo em conta que à uns quantos anos que os maços de tabaco dizem "Fumar Mata" (entre tantas outras informações), não há segundas interpretações: 20% dos fumadores não sabe ler, além de não ver também televisão, nem ouvir rádio, nem usam a internet!


quinta-feira, 30 de maio de 2019

Estou Tão Cansado...


Tropeçando por caminhos estreitos. 
Com medo do que virá a seguir. 
Quando a escuridão se aproxima, 
Eu começo a correr. 
O que eu fiz para merecer 
Esta caça interminável? 
Eu nunca poderei voltar para casa. 
A minha existência está despedaçada. 

Quando eu paro para ofegar por ar, eu pergunto-me ... 
Pergunto quando minha ligação final poderá chegar. 
E se realmente vale a pena escapar. 
Estou tão cansado. 

Entre árvores e pedras. 
Em caminhos antigos, abaixo da minha realidade. 
É como se eu perdesse a chave da minha mente. 
Eu não posso mais me controlar. 
Não quero correr mais! 
Eu vou lutar contra meus demónios aqui mesmo. 

Quando eu paro para ofegar por ar, eu pergunto-me ... 
Pergunto quando minha chamada final poderá vir. 
E se realmente vale a pena escapar. 
Estou tão cansado. 

Querida criança, através dos horrores 
e do medo, desaparecerás. 
Desvanece-se para mundos 
distantes e vidas distantes. 
Como perdes o teu sofrimento, 
não há mais nada em que acreditar. 
A tua crença até hoje tem sido a vida. 
Agora a minha crença preencherá a tua alma, 
enche a tua alma com a morte. 

Quando eu paro para ofegar por ar, eu pergunto-me ... 
Pergunto quando minha ligação final poderá chegar. 
E se realmente vale a pena escapar. 
Estou tão cansado. 

Eu não corro mais, 
Fico firme e espero... 

Eu espero...

"A Lonely Passage" / Saturnus (2012)

Quais São os Partidos Não Populistas em Portugal?

Frase do Dia:

"Os partidos que não são populistas são os que não elegem deputados" 
(Konigvs)



Frases Inspiradoras que se Lêem na Net

Foto emprestada da net

"Quem não quer ter trabalho, gastar água e cortar relva, deve estudar outra solução para o espaço. 
Relva artificial é do mais piroso que há, é como mandar para um funeral flores de plástico." (Veloce)
Daqui

terça-feira, 28 de maio de 2019

Era Uma Vez Uma Rã Que Queria Ser Boi

Esta é a fábula de La Fontaine sobre uma rã que em Março de 2018 começou a inchar a inchar, para ver se ficava como um boi:



Um velho conhecido ainda tentou avisar a rã, que se continuasse assim a inchar ainda acabaria por rebentar....




Mas a rã não ouviu ninguém. E continuou a inchar, a inchar, achando mesmo que iria ficar do tamanho de um boi. E um ano depois teve o lindo enterro que se viu...




O funeral está marcado para as Legislativas de Outubro.

PAN: Quem Quer Ser Grande Tem Que Se Mostrar

"Em 2009, vegans e budistas new age, criam o Partido dos Animais. Só depois da fundação, o seu nome passou a incluir a natureza e ainda mais recentemente as pessoas. É um partido com uma agenda radical poucas vezes explicitada em público, e tem poucas relações com o movimento ecologista europeu. Pretende impor pela via política modos de vida e hábitos pessoais, indo até aos domínios mais íntimos como a dieta de cada um. Arranjou um deputado apresentável e esconde os restantes dirigentes. É o único partido partido português que faz os seus congressos totalmente à porta fechada. Nem o PCP.

O PAN é um partido animalista, nunca foi um partido ecologista. É um partido urbano em conflito violento com modos de vida rurais, avesso à conciliação e ao equilíbrio, e com relações próximas com grupos de ação direta. Ao contrário dos VERDES europeus, não é de esquerda nem de direita, desconfia do Serviço Nacional de Saúde e da medicina moderna e recusa em diversos domínios o discurso científico. O PAN é um movimento mais filosófico e religioso do que político. 

O PAN prepara-se para ter um papel importante nos equilíbrios políticos, podendo dar ao PS, em troco de quase nada, a maioria absoluta que lhe permitiria guinar de novo à direita. Está na altura de começar a ser escrutinado. Sugiro que comecem pelo seu programa. Por propostas como pôr as mulheres a usarem copos menstruais em vez de pensos ou de propostas municipais que apresentou que levariam a retirar os cães aos sem abrigo. Os jornalistas que falem com outros dirigentes para além de André Silva, que exijam assistir aos seus congressos. Quem quer ser grande tem que se mostrar. 



domingo, 26 de maio de 2019

O Sábio Basta-se a Si Mesmo

"Séneca é o exemplo de um espírito que tenta conciliar as ideias mais opostas que constitue o mundo,
e fá-lo, justamente, para que o mundo seja um lugar de encontro e não de discórdia (...)
De Séneca deriva uma atitude que representa um verdadeiro ensinamento:
saber enfrentar as contrariedades sem desalento, 
saber aceitar os reveses da fortuna,
assumir que a realidade não depende da vontade do indivíduo" 


"Tal não implica que, embora se baste a si próprio, ele não deseje ter um amigo, um vizinho, um companheiro. E até que ponto se contenta consigo mesmo mostra-o o facto de, por vezes, se contentar com uma parte de si. Se uma doença, se um inimigo lhe cortarem uma mão, se qualquer acidente lhe roubar um olho, ou mesmo os dois, ele contentar-se-á com o que lhe resta, e conservará tanta alegria de espírito depois de mutilado e estropiado como tinha quando possuía um corpo válido. No entanto, embora não se queixe da sua mutilação, prefere não a sofrer. É neste sentido que o sábio se contenta consigo mesmo: não que deseje, mas sim que possa prescindir de amigos. E ao dizer "que possa" entendo que suportará com firmeza de ânimo a perda de algum. Na realidade ele nunca estará sem qualquer amigo pois tem a possibilidade de rapidamente reparar a falta de algum. (...)


O sábio, embora se baste a si mesmo, deseja no entanto ter um amigo, quanto mais não seja para exercer a amizade, para que uma tão grande virtude não fique inativa; não (como na mesma carta afirmava Epicuro) "para ter alguém que  ajude na doença e no socorros se for encarcerado ou cair na miséria", mas, pelo contrário, para ter alguém a quem ajude na doença, alguém que, caso seja capturado, possa libertar das prisões inimigas. Quem só cuida de si e procura amizades com fins egoístas não pensa corretamente. Tal como começou assim acabará: arranjou um amigo para o auxiliar na prisão, mas assim que os ferros rangerem tal amigo evaporar-se-á! Amizades deste tipo chama-se-lhes correntemente "oportunistas"; alguém que seja tomado por amigo por motivo da sua utilidade deixará de agradar quando deixar de ser útil. Por isso mesmo grande cópia de amigos rodeia os ricaços, enquanto a solidão é apanágio dos arruinados; os amigos fogem de onde são postos à prova; daí todos estes exemplos de deserções ou traições ocasionadas pelo medo. Necessariamente nestas amizades o principio e o fim estão em completo acordo: quem começou por ser amigo por conveniência, deixa de o ser também por conveniência; qualquer interesse prevalecerá também contra a amizade se nela se procurar outro interesse que não ela própria.

"Para quê arranjar então um amigo?" Para ter alguém por quem possa morrer, alguém que possa acompanhar ao exílio, alguém por quem arrisque e ofereça à morte. Isso a que aludis e que tem em vista o interesse, que considera as vantagens práticas, isso não é amizade, é uma negociata!
(...)
"O sábio basta-se a si mesmo". Amigo Lucílio, muita gente interpreta incorretamente esta máxima, afastando o sábio do mundo que o rodeia e reduzindo-o aos limites do seu corpo. Por conseguinte é imprescindível distinguir bem o que significa, e qual o alcance desta frase: o sábio basta-se a si mesmo para viver uma vida feliz, não simplesmente para viver, na medida em que para viver carece de muita coisa, mas para ter uma vida feliz basta-lhe possuir um espírito são, elevado e indiferente à fortuna.
(...)
O sábio precisa das mãos, dos olhos, de muita coisa necessária à vida quotidiana, mas não carece de coisa alguma: carecer implica ter necessidade, ser sábio implica não ter necessidade de nada.
Por isso mesmo, embora se baste a si próprio, precisa ter amigos; deseja mesmo tê-los no maior número possível, mas não para viver uma vida feliz, pois é capaz de ter uma vida feliz mesmo sem amigos.
(...)
A sua cidade fora tomada, os filhos e a mulher pereceram, tudo era pasto das chamas; sozinho, e apesar de tudo feliz, Estilbão partia quando Demétrio, aquele que das cidades destruídas tomou  cognome de Poliorcetes, lhe perguntou se havia perdido alguma coisa. Resposta do filósofo: "não, todos os meus bens estão aqui comigo". Isto é que é ser um homem forte e indomável, capaz de vencer a própria vitória do seu inimigo! "Nada perdi", disse ele; e com isto forçou Demétrio a duvidar do seu triunfo.
(...)
Que importa, de facto, a situação em que te encontras, se tu a consideras má? "Como é isso? Então se um ricaço desonesto, se um homem senhor de muitos escravos mas escravo ainda de mais, disser: "eu sou feliz!", o facto de pronunciar esta frase fará dele um homem feliz?" Não, o que interessa não é o que ele diz, mas o que sente e o que sente continuamente e não num dia qualquer. E não receies que tão afortunada situação possa ser apanágio de um ser indigno: só um sábio se contenta com o que tem, todos os insensatos sofrem de descontentamento consigo mesmo.


Cartas a Lucílio (Carta 9) / Lúcio Aneu Séneca 

sábado, 25 de maio de 2019

O Livro Que se Tem Andado a Ler No Benfica...



Porque é que o FC Porto é Campeão e o Benfica Só Ganha Taças da Liga? Uma explicação económico-financeira de Domingos Amaral / 2012

E Pagam Multi-Salários?


Empresa procura empregado para Multi-Tarefas.
- E será que é para receber Multi-Salários?

sexta-feira, 24 de maio de 2019

Declaração de Voto nas Eleições Europeias 2019




Não acompanhei grande coisa dos tempos de antena, mas fui acompanhando, na rádio pública, alguma coisa da campanha eleitoral dos diferentes partidos, tal como também acompanhei alguma coisa via internet.

Percebi que há partidos a quem ninguém disse que estas não são eleições legislativas, mas sim eleições para o parlamento Europeu. Ouvi constantemente os partidos de direita, PSD e CDS, a falar dia-pós-dia-após-dia em António Costa, nos incêndios, nos hospitais, mas pouco ou nada falaram sobre temas da Europa. No PS o próprio António Costa lembrou-se de dizer que as eleições europeias são uma espécie de referendo ao governo, como se uma coisa tivesse algo a ver com a outra. 

Por outro lado percebi que houve partidos a trazerem temas europeus para a campanha, e tentando evitar os degradantes ataques pessoais, que a meu ver só irão servir para aumentar ainda mais a abstenção.

E, apesar de eu nem democrata me considerar, vou votar mais uma vez nas eleições. No fundo porque, apesar de tudo, voto sempre e porque começo a achar que, para Portugal, é mais importante o que se passa no parlamento europeu do que o que se passa no parlamento português. 

E, se nas últimas eleições europeias, há cinco anos, contribui com o meu voto para a eleição da Marisa Matias, que, considero que terá sido a deputada portuguesa que mais se destacou pela positiva no parlamento europeu, desta feita considero mais importante ter uma pessoa de um outro partido, que um segundo ou terceiro deputado do BE. Porque aprecio o candidato Rui Tavares do Livre, e porque me parece uma pessoa que sabe muito sobre temas europeus, e, mais importante, porque me parece que tem muito boas ideias, que também vão de encontro às minhas, no próximo domingo eu vou votar no LIVRE para que o Rui Tavares possa ir para o parlamento europeu.